CICLO E PERSPECTIVA DO MERCADO IMOBILIÁRIO

O mercado imobiliário no nosso país vem passando por vários estudos, desde a segunda metade do século passado, as quais comprovam que o mercado imobiliário é composto por um ciclo próprio, que se subdivide em 4 fases com um lapso temporal entre ela de um período médio de 5 anos, onde tem na oferta e demanda dos imóveis como principal fator de alteração. As fases do ciclo do mercado imobiliário são:  expansão; excesso de oferta; recessão e recuperação.

 

Expansão

Fase mais prospera do mercado imobiliário, onde atinge os maiores índices de transações imobiliárias, bem como o aumento nos preços do metro quadrado, incentivo e pico nas construções, baixo nível de desemprego e consequentemente o aumento da renda média dos consumidores, economia em alta e senário otimista para os investimentos, são fatores que se que fazer desta fase a principal do ciclo do mercado imobiliário.

 

Excesso De Oferta

Diante do pico nas construções na fase anterior, é inevitável o aumento do número dos imóveis desocupados no decorrer dos anos seguintes da fase da expansão, diante da grande oferta trazida pelos incorporadores e número insuficiente de compradores. Com isso o mercado impõe uma diminuição na construção, estagnação dos preços, tímido aumento nas taxas de juros e diminuição do credito imobiliário pelas instituições financeiras, mesmo com o otimismo trazido pela fase anterior.

 

Recessão

O excesso de oferta e a baixa demanda, alinda e queda na economia do país, e o aumento na taxa de desemprego são fatores determinantes que fazem desta a fase de pior momento para o mercado imobiliário. Com isso, se dá a diminuição brusca das construções e a perda do capital das construtoras, vários imóveis vagos, mínimo da oferta do crédito imobiliários, aumento na taxa de juros, queda da renda dos consumidores, etc. Devendo destacar que esta fase não se mostra de todo ruim pois, é nesse momento que o preço do metro quadrado diminui e se mostra favorável há quem se resguardou financeiramente para este momento.

 

Recuperação

Após a fase sombria do mercado imobiliários, nos deparamos com a recuperação, que é o período de retomada do mercado, onde inicia-se, mesmo que de forma tímida, um aumento na demanda, com a redução da taxa de juros, aumento da linha de crédito para os consumidores, retomadas dos empreendimentos inacabados na construção civil, etc. Com isso, verifica-se a queda no número de imóveis vagos e consequente retomada da confiança no setor.

 

O Cenário atual do país corresponde a fase da recuperação, que diante da retomada das atividades construtivas, diminuição das taxas de juros e aumento da linha de credito, demonstra, de forma tímida, a retomada da confiança no setor imobiliário.

 

Como pontos indicadores desta retomada na confiança, podemos apontar a redução da taxa SELIC para 5.5%, com estimativa de queda ainda maior para o fim do ano, chegando ao patamar histórico de 5.0 %, bem como na redução da taxa média de juros dos principais bancos do país para 8.4%, e até mesmo promoções de algumas instituições financeiras que reduziram a sua taxa de juros para patamares de 7,99% no último mês de agosto.

 

Cenário que se mostra otimista para os próximos anos, mas que os consumidores devem ter cautela na hora do seu investimento, uma vez que para muitos é deve ser o maior investimento de suas vidas.

 

LUIZ HENRIQUE MOREIRA ALVES TEMPONI

ADVOGADO